Booking.com
//Gôndolas, Máscaras, Vinhos e Muito Mais

Gôndolas, Máscaras, Vinhos e Muito Mais

Sim, estou falando de Veneza,  uma cidade no nordeste da Itália situada sobre um grupo de 118 pequenas ilhas separadas por canais e ligadas por pontes. Ela está localizada na pantanosa Lagoa de Veneza, que se estende ao longo da costa entre as bocas dos rios Po e Piave.
Conhecida como o “La Dominante”, “Serenissima”, “Rainha do Adriático”, “Cidade da Água”, “Cidade Flutuante” e “Cidade dos Canais” a doce Veneza, com suas construções, seus canais, suas ruelas, igrejas, e monumentos; a cada passo revela uma história a ser descoberta.
Se você gosta de Carnaval,porque não se encantar com o  mais famoso Carnaval do mundo; feito de uma magia e de um respeito pelas tradições que o tempo não consegue apagar. Em Veneza, os bailes de gala, as máscaras e fantasias que desfilam pelas calles encantam as gerações. A magia começa já pela história e curiosidades do Carnaval de Veneza.
O Carnaval de Veneza é muito mais antigo do que se pensa. A festa foi instituída em 1094 (mesmo ano da consagração da Basílica de São Marcos) pelo doge Vitale Falier. Proveniente de uma das famílias mais potentes da cidade, Falier propôs que antes do início da quaresma, a população tivesse direito a usufruir de um período de jogos, brincadeiras e diversão pública. Mas foi em 1296, que o Senado veneziano formalizou o carnaval com um decreto que declarava que o último dia antes da quaresma fosse festa. A oficialização do evento trouxe consigo uma série de usos e costumes. Nesta época já existiam as escolas ou confrarias dos “mascareri”, ou seja, os artesãos que produziam as máscaras e fantasias para os foliões.
A baùta veneziana (Foto: Divulgação)
O carnaval de Veneza sucumbiu com a chegada de Napoleão 1797. Foi ressuscitado com entusiasmo em 1980,com ricas rendas,perucas,fantasias e máscaras de personagens da Commedia dell’Arte italiana.
Mas nem se só de carnaval vive Veneza. Que tal um passeio pelas aldeias medievais?
ASOLO
Asolo, uma encantadora vila medieval imersa nas colinas de Treviso.  La  Rocca Braida é uma  fortaleza localizada no topo de Monte Ricco , que tem vista para a aldeia de Asolo . Representa o símbolo da cidade e, a partir dos seus 313 metros de altitude , é um observatório favorito para admirar o panorama circundante. Em dias claros, pode-se ver as colinas de Euganeia e a lagoa de Veneza .
Na Idade Média, foi usado como uma fortaleza , mas sua primeira construção poderia remontar a uma era pré-romana , quando provavelmente era um lugar de culto (como demonstrado pela descoberta dos restos de uma pequena igreja).
A fortaleza pode ser visitada todos os dias no exterior, enquanto o interior está aberto apenas nos finais de semana: os interiores , no entanto, devem ser visitados porque preservam um interessante trecho de mosaico do século VII recentemente descoberto.
La  Rocca Braida. (Foto:Andrea Lodi)

 

BASSANO DEL GRAPPA  
Linda essa cidade medieval! Localizada na área de Vicenza, atravessada pelo rio Brenta, localizada a 20 minutos de Asolo, no sopé das Dolomitas.Cercada por colinas e favorecida por um clima ameno,  Bassano del Grappa é um mergulho na arte: as ruas do centro são adornadas com obras de autores como Palladio, Canova, Jacopo Da Ponte, Marinali e Dall’Acqua. Em Bassano há o mais antigo Museu Cívico do Veneto que merece uma visita junto com a sugestiva Loggia dei Potestà .
Mas o símbolo da cidade é a Ponte Vecchio.
Ao longo dos séculos, devido a inundações repentinas, foi repetidamente reconstruído respeitando o design Palladiano original de cada vez. Em uma entrada para a ponte é o pequeno mas fascinante Museo degli Alpini que preserva documentos históricos e memorabilia do período.
Ponte Vecchio (Foto:Colby Blaisdell)
Mas Bassano del Grappa também é conhecido pelas duas grandes tradições que o tornaram famoso: a cerâmica , cujas produções são admiráveis ​​no Museu da cerâmica no Palazzo Sturm e a tipografia desenvolvida entre 1600 e 1800 pelo Remondini, ilustre família de editores e calcógrafos da indústria de impressão italiana mais importante.
Os exemplos arquitetônicos da era medieval são também a Fortaleza , construída para defender a cidade e que permanecem as torres e as muralhas; a Torre Cívica , que lhe permite desfrutar de uma visão exclusiva das montanhas próximas e do Duomo .
Para aqueles que querem ser tentados pela tradição gastronômica, encontrarão propostas saborosas, como o impermeável aspargo branco PGI de Bassano, o baccalà e a famosa grappa.
Marostica
Assim que seus pés tocarem o território marosticense, você se sentirá catapultado no passado, precisamente na Idade Média.
Os castelos medievais perfeitamente preservados, as muralhas da cidade visíveis a muitos quilômetros de distância, o famoso jogo de xadrez, paisagens de tirar o folêgo. Marostica não decepciona, e aqueles que visitam, querem retornar em breve.
Na primavera,Marostica se veste de uma cor branca, suas extensas colinas com suas cerejeiras em flor dão a cidade um ar de conto de fadas.
O famoso jogo de xadrez é considerado a expressão mais alta da tradição Marosticense, um momento mágico para a cidade de Vicenza, também chamada de Cidade dos Xadrez. É uma reedição medieval que revive a cada dois anos na famosa Piazza degli Scacchi , em frente ao Castelo Inferior, e que é inspirada por uma lenda. Diz-se, de fato, que em 1454 dois guerreiros nobres se apaixonaram por Lionora, filha do Castellano di Marostica. Ele proibiu os dois contendores de lutar em um duelo sangrento, ao invés de impor um desafio singular ao xadrez. O jogo de peões vivos é jogado na segunda sexta-feira, sábado e domingo de setembro de anos pares e envolve mais de quinhentas pessoas vestidas com roupas de época.
(Foto/Reprodução: O Globo)
 
Tem muita coisa esperando pra ser desvendada nesta cidade encantadora, no entanto Veneza, famosa por seus canais e rios, é um dos locais que correm o risco de ficar debaixo d’água no futuro por conta do aquecimento global e do aumento do nível do mar.
Recentemente, o artista Lorenzo Quinn fez uma escultura para chamar atenção para essa ameaça.
A obra consiste em duas mãos enormes, que saem do Grande Canal e seguram as paredes do hotel, como se ele fosse cair.
                                 Obra de Lorenzo Quinn, no Grande Canal de Veneza.
                                     Foto: REUTERS/Stefano Rellandini
 Que tal incluir na sua lista de desejos conhecer Veneza? Você ficará surpreendido com tanta beleza.

Por: Rosana Soares – Redatora de Conteúdos

Booking.com