Booking.com
//Onde o Místico, o Tradicional e o Moderno se Encontram

Onde o Místico, o Tradicional e o Moderno se Encontram

O Peru está localizado na parte ocidental da América do Sul. Seu território faz limites com Equador, Colômbia, Brasil, Bolívia e Chile.

Não existem fontes oficiais que expliquem a origem da palavra Peru como nome ao país. A teoria mais aceita é que os espanhóis, ao chegarem ao Peru, perguntaram aos nativos qual era o nome do lugar, e tiveram como reposta: “Biru”. A palavra teria passado por uma evolução linguística até chegar a Peru.

Booking.com

Existe uma magia, algo místico quando nos referimos ao Peru, com suas cidades enigmáticas, berço da civilização Inca. Mistérios ainda não revelados, nos leva a um êxtase ao viajarmos por essa nação.

Cuzco e o Vale Sagrado

Cusco foi nada menos que a capital do Império Inca. Os conquistadores espanhóis sobrepujaram os incas com armas desconhecidas no Novo Mundo: cavalos, armaduras, canhões. A Cusco inca foi posta abaixo — e seu ouro, derretido e enviado à Europa. Restaram apenas o traçado urbano e as fundações de alguns edifícios (o mais imporante deles, o Qoricancha, ou Templo do Sol). Por sobre a capital devastada, porém, os espanhóis construíram a mais rica das cidades coloniais da América do Sul, com igrejas cristãs no lugar dos templos e lugares sagrados dos incas.

Foto: Reprodução/getyourguide

As arquiteturas inca e espanhola se misturam nesta catedral do século XVII. Este é o local onde se encontrava o Templo do Sol e era, originalmente, coberto por cerca de 700 lâminas de ouro maciço.

O Vale Sagrado como um todo abrange várias cidades e sítios arqueológicos às margens do Rio Urubamba (ou Rio Vilcanota, que é a mesma coisa). E apesar das estradas serem ótimas, elas sobem e descem montanhas, o que torna a viagem mais demorada do que parece, se você olhar apenas as quilometragens.

 

Ollantaytambo, no Vale Sagrado (Foto: Reprodução)

Nazca

Localizada no sul do Perú entre os Vales de Ingenho e Nazca, as misteriosas e milenares Linhas de Nazca é um dos enigmas mais antigos da humanidade e intriga historiadores e geólogos do mundo inteiro. São cerca de 500 imagens que representam diferentes animais, plantas, seres humanos e desenhos geométricos, estendendo-se sobre uma chapada de 500 km quadrados em um deserto, que só podem ser visualizadas por avião, devido seus tamanhos.

Os geoglifos milenares foram criados pela civilização de Nazca que é uma cultura pré-incaica que viveu na região sul do Peru por mais de 800 anos, até desaparecer em 600 d.C. Desenhadas numa área de 490 quilômetros quadrados, as 500 figuras que possuem até 270 metros de diâmetro representam animais como baleias, macacos, aranhas e até extraterrestres.

A explicação mais aceitável entre os estudiosos é que os desenhos foram feitos através de motivações religiosas, mas muitos suspeitam que eles também possam estar ligados a astrologia. Declarado como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1994, as linhas foram redescobertas em 1930, após o uso de aviões como meio de transporte.

Foto: Reprodução

Águas Calientes / Machu Picchu

Águas Calientes não tem parte histórica nem resquícios incas. O vilarejo nasceu em função dos andarilhos que chegavam pela trilha inca e precisavam pernoitar antes de prosseguir a Machu Picchu. A ocupação foi acontecendo de forma caótica, com construções enjambradas, sem planejamento viário. A energia, porém, é das melhores: Águas Calientes é um lugarzinho animado, cheio de gente compartilhando a alegria, logo ali, pertinho de Machu Picchu.

Foto: Reprodução

Também chamada “cidade perdida dos Incas”, Machu Picchu é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru.

Foto: Reprodução

Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti. O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras. A construção original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas.

Consta de duas grandes áreas: a agrícola formada principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e mausoléus reais. A disposição dos prédios, a excelência do trabalho e o grande número de terraços para agricultura são impressionantes, destacando a grande capacidade daquela sociedade. No meio das montanhas, os templos, casas e cemitérios estão distribuídos de maneira organizada, abrindo ruas e aproveitando o espaço com escadarias. Segundo a história inca, tudo planejado para a passagem do deus sol.

O lugar foi elevado à categoria de Patrimônio mundial da UNESCO, tendo sido alvo de preocupações devido à interação com o turismo por ser um dos pontos históricos mais visitados do Peru.

Lago Titicaca

Titicaca ou Titiqaqa é um lago nos Andes, na fronteira entre o Peru e a Bolívia. Em volume de água, é o maior lago da América do Sul.

Ao viajar de barco por 2 horas pelo Lago Titicaca e  ilhas flutuantes de Uros, conheceremos os habitantes do lago denominados como “Tribo da Água” por construírem suas próprias ilhas, adicionando periodicamente novas camadas de uma espécie única de cana-de-açúcar na área chamada “Totora”. Suas casas e barcos também são feitos a partir desses materiais.

Foto: Reprodução

Chegando a Ilha Taquile, habitada por pessoas locais que falam Quechua e desenvolveu sistemas sociais eficientes e únicos, bem como boas técnicas de tecelagem.

Foto: Reprodução

Lima

Lima é a região metropolitana mais populosa do Peru e a terceira maior cidade da América Latina (atrás de São Paulo e Cidade do México).

Lima tornou-se a capital da República do Peru após a Guerra da Independência Peruana. Cerca de um terço da população nacional vive na área metropolitana.

A cidade é o lar de uma das mais antigas instituições de ensino superior no Novo Mundo. A Universidade Nacional de San Marcos, fundada em 12 de maio de 1551 durante o regime colonial espanhol, é a mais antiga universidade de funcionamento contínuo no continente americano.

 

Foto: Reprodução

A capital peruana oferece inúmeras atrações pra quem não gosta de ficar parados

O Museu “Oro del Peru” é um local particular, onde estão expostos vários trabalhos feitos em ouro.

Bairro Miraflores é um dos bairros mais nobres de Lima e também um dos mais seguros. Lá você poderá passear pelo Parque Kennedy, que está cheio de gatinhos brincalhões, fazer compras no Shopping Larcomar, andar de bicicleta próximo ao mar e fazer parapente.

 Museu do Chocolate é um pequeno local no centro de Miraflores dedicado a guloseima preferida de quase todo o mundo. Lá Você pode conhecer a história, ver como se prepara um chocolate, provar e prepará-lo você mesmo. Os trabalhadores estão preparados para responder qualquer pergunta sobre o tema.

Foto: Reprodução

Bairro de Barranco  é conhecido pela grande quantidade de barzinhos da moda e costuma ser frequentado por artistas e pela galera mais alternativa. Não deixe de visitar a Ponte dos Suspiros, um ícone do bairro. Aproveite os barzinhos para experimentar o Pisco Sour (coquetel típico do Peru) e beber cerveja peruana.

 

O prato mais conhecido é o ceviche, que possui algumas variações, podendo ser ele puro (somente com peixe) ou misto (com frutos do mar).

Outros pratos também muito conhecidos são: lomo saltado, leche de tigre, leche de pantera, chincarónes, ají de galinha e chanco al palo (é porco assado em grelhas fincadas no chão).

 

Bairro Barranco ( Foto: Reprodução)

 

Passeie pela Praça de Armas, pela Catedral de Lima, pela Igreja de San Francisco (no local existem catacumbas com restos mortais de mais de 25 mil pessoas), pela Praça San Martin e por muitos outros lugares interessantes que existem na região.

 O Circuito Mágico del Água é um projeto municipal reconhecido como uma das principais atrações turísticas de Lima e que se tornou um símbolo da recuperação dos espaços públicos da cidade, desde a sua inauguração em 2007. Durante a noite há um show com fontes, luzes e música sincronizadas.

A capital peruana oferece muitas atrações.Viajar para o Peru, sem dúvida é um encontro com o místico, a tradição e a modernidade.

A capital do país e está totalmente ligada à cultura norte-americana, no sentido de desenvolvimento, padrões de vida, comida e produtos.

Uma nação que conta com 11  Patrimônios da Humanidade assim classificados pela UNESCO , em sua maioria, relacionados à cultura Inca, preserva suas tradições sem esquecer de olhar para o futuro.

E o melhor de tudo, o Peru também se encontra na lista dos países em que os brasileiros podem visitar sem passaporte.

Por Rosana Soares – Redatora de conteúdo