Booking.com
//O Maior Laboratório Vivo do Mundo

O Maior Laboratório Vivo do Mundo

Se você é de biológicas assim como eu, vai saber exatamente de qual região estou falando. 

As ilhas Galápagos, no Equador, foram essenciais para os estudos de Charles Darwin, nelas Darwin pode observar grande parte das espécies que inspiraram a – na época – louca Teoria da Evolução. O que ele observou no arquipélago foi muito importante para a divulgação de seu livro célebre “A Origem das Espécies”, mesmo o arquipélago não sendo a temática principal do livro. Como e por que fica para outro dia, por enquanto deixe-me apresentá-los as Galápagos, também conhecida por ser o principal laboratório vivo de biologia do mundo.

Booking.com
Ilha Bartolomé, Ilhas Galápagos (Foto: Derek Keats)

O arquipélago equatoriano, o qual oficialmente se chama Arquipélago de Colón, localiza-se a cerca de 1000km da costa do Equador, e faz parte de uma das 24 províncias administrativas do país (Província de Galápagos). O conjunto das ilhas Galápagos são de origens vulcânicas e é formado um total de 13 ilhas maiores, 6 menores e mais de 40 pequenas ilhas, as quais são banhadas pelo azul do Oceano Pacífico e sempre atraem os amantes da natureza.
Se a sua intenção ao conhecer as Galápagos é visitar o maior número de ilhas, fazer atividades e ter a possibilidade de ver uma biodiversidade a qual é particular de ilha para ilha, o jeito ideal seria fazendo um cruzeiro, como o La Pinta, claro que cruzeiros podem ter seus contras como horários e itinerários fixos, mas estando em alto mar é economizar tempo, já que no dia seguinte você provavelmente estará em outra ilha ou a caminho dela. Mas nada que exclua a possibilidade de se hospedar em terra firme e ir beirando cada ilha por tour fornecidos pelos hotéis, afinal, além de conhecer a vida costeira, você também pode conhecer os costumes dos moradores locais.
A província de Galápagos divide-se em três cantões, os quais abrangem várias ilhas, são eles:

  • Cantão de São Cristóvão. Composto pelas ilhas de São Cristóvão, Española, Santa Fé, Floreana e Genovesa. Sua capital também é a capital do arquipélago, que é Puerto Baquerizo Moreno, fica na ilha de São Cristóvão. As praias são belíssimas e possuem ótimos pontos de mergulho, este cantão é muito conhecido pela presença endêmica das tartarugas gigantes de Galápagos, que, apesar de serem encontrada em todo o arquipélago, faz do cantão de São Cristóvão seu principal habitat.
Praia Española, Ilha Española. É a ilha mais antiga de Galápagos, nesta praia, há animais por todos os lados, de iguanas-marinhas aos tentilhões de Darwin. Uma das atividades populares daqui é nadar com os leões-marinhos, animais bastante extrovertidos e interativos, interagem com os turistas como nenhum outro animal das ilhas, param na sua frente, olham no seu olho e se você tiver sorte pode ganhar um beijinho (não que isso seja permitido!), podem até acenar para os turistas. (Foto: Vince Smith)
A Ilha Floreana é um lugar perfeito para a prática do mergulho, entretanto, recomenda-se que, em algumas regiões da ilha, o mergulhador seja de nível intermediário ou avançado, pois podem apresentar fortes ondas, correntes e possuir uma grande concentração de tubarões de arrecife, como o galha-branca. Além de tubarões, o mergulhador também poderá observar uma fauna marinha bastante diversificada, como corais, recifes subaquáticos, tartarugas, moluscos e muitos outros animais locais. A praia Floreana possui areias branquinhas e macias e é o local de desova das tartarugas-marinhas-do-pacífico. (Foto: eatswords)
Tubarão-galha-branca-de-recife, Galápagos. (Foto: Anthony Patterson)
  • Cantão de Isabela. Composto pelas ilhas Isabela, Fernandina, Darwin e Wolf, a capital deste cantão fica na ilha Isabela e se chama Puerto Villamil. Assim como os outros cantões, Isabela tem uma vista espetacular, praia e baías cristalinas, lagoas costeiras e biodiversidade exemplar.
    Lago de Darwin, Togus Cove (local visitado por Charles Darwin em 1835.) – Ilha Isabela. A ilha Isabela é a maior ilha do arquipélago e possui 5 vulcões, entre eles o maior das Ilhas Galápagos, o Sierra Negra.
    O Sierra Negra é um vulcão inativo e uma ótima rota para os amantes de trekking. (Foto: Michael R. Perry)
    Concha de Perla,  Puerto Villamil – Ilha Isabela. Aqui, além da bela paisagem você também pode curtir um mergulho refrescante e observar vários pinguins-de-galápagos e praticar snorkeling para ver os famosos peixinhos coloridos do Pacífico. (Foto: Reprodução)
    A Baía Urbina fica no pé do vulcão Alcedo, na ilha Isabela. A baía é o lugar perfeito para a prática de trilha e de mergulhos com snorkel, também dá para encontrar as famosas tartarugas-gigantes de Galápagos (que, felizmente, não entraram em extinção). (Foto: Reprodução/gypsynester)

    A Ilha Fernandina é a ilha mais nova e preservada de Galápagos. Possui apenas 1 vulcão ativo, mas que ainda está em processo de formação. Ao andar por lá tenha muito cuidado para não acabar pisando em alguma iguana-marinha, pois muitas se espalham pelas areias cinzentas. (Foto: Jeremy T. Hetzel)

  • Cantão de Santa Cruz. Composto pelas ilhas de Santa Cruz, Santiago, Marchena, Pinta, Baltra, Bartolomé, Seymour Setentrional, Duncan, Rábida e Plaza Meridional. Sua capital é Puerto Ayora, que por sua vez é a maior cidade da ilha de Santa Cruz e a mais desenvolvida turisticamente, É uma cidade portuária que sedia os serviços do Parque Nacional das Ilhas Galápagos.
    A ilha de Santa Cruz é uma das ilhas mais habitadas das Galápagos e possui uma grande quantidade de passeios. Entre os mais populares estão a visita as terras altas para ver tartarugas-gigantes-de-Galápagos e a visita à Estação de Pesquisa Charles Darwin, que apesar de estar sofrendo risco de ser extinguida, continua firme com os seus projetos. (Foto: TriiipleThreat)
    A ilha Bartolomé é uma dos lugares mais visitados pelos turistas, e não é atoa, seja pela possibilidade de nadar com os pinguins-de-Galápagos na altura da Rocha Pináculo ou pela a vista a partir do vulcão mais alto da ilha, a subida é tranquila, leva em média 20 minutos e a vista é deslumbrante. (Foto: ser_is_snarkish)
    Rocha Pináculo é um acidente geomorfológico costeiro, resultante da atuação de processos marinhos, que consiste numa coluna vertical de rocha consolidada. (Foto: Florent Figon)
    Praia de Rábida. A ilha de Rábida, localiza-se no coração das Galápagos, e a atividade vulcânica é bastante intensa. O solo é formado por lava basáltica com alta concentração de ferro, então, quando o ferro oxida, enferruja, o que deixa o solo com essa tonalidade enferrujada. Junte as areias vermelhas, o verde das folhas e o azul do oceano e descubra um cenário exuberante. Entre as atividades possíveis na ilha estão o mergulho de snorkel com os leões-marinhos e tartarugas, passeios de panga em volta da ilha para avistar os lobos-marinhos, atobás, pelicanos e outros animais descansando nos costões rochosos. (Foto: ser_is_snarkish)

    Panga é como um bote, normalmente passeios desse tipo são feitos para levar os passageiros dos cruzeiros para as ilhas ou de ilhas para ilhas (quando feito o embarque em algumas das cidades). (Foto: Claudiah)

Vale ressaltar que, Galápagos é um arquipélago com muitas regras, então se você é daquele tipo de turista rebelde, que gosta de fazer coisa errada quando os guias não estão olhando, é melhor tirar o arquipélago dos seus roteiros!

1. Nada pode ser retirado da ilha, nem uma conchinha sequer, muito menos ser levado de uma ilha para outra, por isso checa-se os sapatos, roupas e mochilas ao desembarcar ou voltar para o barco. 2. NUNCA! EM HIPÓTESE ALGUMA TOQUE NOS ANIMAIS! E MUITO MENOS ALIMENTE-OS! Selfies podem ser tiradas de longe, e as fotos devem sem flash e nada de perseguir ou irritar os animais por causa de fotografias, aproveite a paisagem! 3. Permaneça sempre nas trilhas e sempre acompanhado de um guia naturalista, até mesmo pela sua própria segurança.

Essas são apenas algumas das regras mais importantes para a visitação das Ilhas Galápagos, mas lembre-se absorver todas elas para sua vida, pois se visitar qualquer outro lugar de proteção ambiental, respeite os animais e a flora nativa.

 

Por Lorena Christine – Redatora de Conteúdo