Booking.com
//Viajando na Melhor Idade

Viajando na Melhor Idade

Todo mundo viaja, inclusive os idosos, ao contrário do que muita gente pensa sobre a melhor idade, é crescente o número de idosos que trocam uma aposentadoria pacata e finais de semana intermináveis em casa, por aventuras que marcarão cada segundo vivido. As estatísticas não mentem, 11% dos brasileiros acima dos 60 anos realizaram cerca de 18 milhões de viagens só em 2015, e, segundo o ministério do turismo, a tendência é aumentar com o passar dos anos.

Quando o assunto é viagem, não existe restrição de idade, o que vale é desbravar cada cantinho das maravilhas que o planeta oferece. No entanto, existem alguns obstáculos na rota da terceira idade, por mais que o turismo nessa faixa etária esteja sendo estimulado, ainda há muito a fazer para melhorar a estadia desse tipo crescente de viajante; cardápios que não atendam as necessidades especiais de determinados grupos como diabéticos ou hipertensos, ausência de rampas e corrimãos, pisos antiderrapantes e barras de sustentação em banheiros ainda são muito recorrente.

Booking.com
Foto: Reprodução

Nada que não possa ser driblado por um bom planejamento “pré-viagem”, o ideal é preparar-se o quão antes possível, muitos médicos recomendam observar o clima do local, na época em que se planeja viajar e nunca deixar de contratar um seguro viagem.

A vovó russa Elena Mikhailovna de 90 anos é o exemplo vivo de que viajar não tem idade, sua história ficou conhecida ao redor do mundo através de uma compatriota, Ekaterina Papina, que conheceu durante suas férias no Vietnã. Ekaterina a conheceu em um restaurante e ficou bestificada ao descobrir que aquela adorável senhora havia começado a desbravar o mundo aos 83 anos, e o melhor de tudo, completamente sozinha. Vovó Lena já visitou Turquia, Alemanha, Polônia, Vietnã, República Tcheca (a qual visitou por 5 vezes, uma por ano, desde que decidiu viajar.), Israel, Itália, Tailândia; a lista é grande, mas por viver sozinha e aproveita a aposentadoria  para viajar por, pelo menos, duas vezes ao ano.

Tendo em mente que idade é apenas um número, não deixe que a imposição de outros ou pensamentos enraizados continuem a se multiplicar. Todos nós envelhecemos, mas a alma e as experiências vividas não. Dobre estas experiências, e claro, tomando os cuidados necessários.

 

 

Por Lorena Christine – Redatora de Conteúdo